VIRADA CULTURAL NO CCSP


Detalhes do Evento


O CCSP realiza em 2019 sua maior edição da Virada Cultural, com programação de alta qualidade para todos os públicos que frequentam o equipamento municipal mais amado da cidade.A partir de 18h de sábado, até 9h20 de manhã de domingo estaremos aqui com todas as curadorias vibrando em conjunto, nos 65 mil metros quadrados do CCSP.

Além da diversidade e volume de atividades, a característica da Virada Cultural este ano do CCSP é a ocupação inusitada das salas e espaços do CCSP. Por exemplo, a performance de longa duração do artista Tiago Sant’anna, que dá o start na programação às 18h do sábado, acontece por oito horas consecutivas na icônica Praça das Bibliotecas.

Pela primeira vez a rampa que dá acesso ao metrô será transformada numa pista de dança, com os DJs Erick Jay e Typá a partir de 23h, também no sábado.

No Jardim Suspenso, no lado 23 de Maio, rolam duas oficinas, estas no domingo, de manhã e à tarde, de xilografia e desenho com o coletivo indígena Tanonderã Avyvu, e da artista Monica Nador, do JAMAC (Jardim Miriam Arte Clube), de estêncil e estampa.

O Espaço Cênico Ademar Guerra, no subsolo do CCSP, recebe na noite de sábado a esperada peça / performance de artistas da cena trans da cidade, comandada pela dramaturga e diretora Ave Terrena Alves. Mais tarde, a sala de vocação underground recebe a Virada Phenomena, pela primeira vez com uma tela de cinema em suas dependências.

A moda, que estreia no CCSP com a curadoria de Karlla Girotto, recebe duas performances, a Enegrecídio, de oito estilistas que se relacionam com questões raciais e de gênero, e a Próloga, da estilista Vicente Perrota, ambas ocupando o piso Flávio de Carvalho.

Por fim, a dança ocupa a sala Jardel Filho com dois espetáculos, Sismos e Volts, de Leandro de Souza (20h), e Nebulosa, com Vanessa Nunes (21h), além da última apresentação da performance fashion Fleshion (sábado 20h, no piso Flávio de Carvalho). O jardim e as áreas de convivência recebem também a Sambada de Reis, de ritmos brasileiros, com uma grande ciranda acontecendo também por lá.

Na fachada do CCSP a poesia vibra, com obras de Augusto de Campos, que serão projetadas durante a performance do músico Cid Campos, na noite de sábado.

Os ateliês públicos da Folhetaria estarão abertos durante toda a madrugada de sábado para domingo, bem como o restaurante Citron. A Sala Adoniran Barbosa recebe shows até a manhã de domingo. #vamosvirar

Erika Palomino

PROGRAMAÇÃO

dias 18 e 19/5/2019 
sábado e domingo

cinema
Virada Tarantino
de 17 a 19/5, sexta a domingo – a partir das 15h – livre – Sala Lima Barreto
Maratona de filmes do diretor Quentin Tarantino, incluindo a versão integral de Kill Bill em 35mm.

performance
Lavoura
dia 18/5, sábado, às 18h – 8h – livre – Espaço Mário Chamie (Praça das Bibliotecas)
Na Praça das Bibliotecas, o artista Tiago Sant’Anna compõe cópias em gesso de canas-de-açúcar, um dos principais produtos explorados pelo sistema de colonização no Brasil, com a ideia de criar um “fóssil” durante a performance de longa duração.

cinema
Virada Megalobox
dias 18 e 19/5, sábado e domingo – a partir das 18h – livre – Sala Paulo Emilio Salles Gomes
Confira a nova animação japonesa sensação do momento, de Yo Moriyama, considerada a Cowboy Bebop da geração millennials.

artes visuais
Augusto de Campos e Cid Campos – Poesia é Risco
dia 18/5, sábado, às 21h – 120min – Sala Lima Barreto
Espetáculo multimídia na sala de cinema Lima Barreto homenageia um dos fundadores da poesia concreta, Augusto de Campos, que, juntamente com Décio Pignatari e Haroldo de Campos, é protagonista da maior virada poética no mundo.

música
Outros Barato: Rodrigo Brandão + Azymuth
dia 18/5, sábado, às 18h – 90min – livre – Sala Adoniran Barbosa
O projeto falado de Rodrigo Brandão recebe o mítico trio instrumental Azymuth para uma apresentação especial para a Virada, que conta também com as participações de Rodrigo Carneiro, Guilherme Granado, dentre outros.

moda / dança
FLESHION!
Fleshion [aparências]
dia 18/5, sábado, às 20h – 60min – livre – Piso Flávio de Carvalho
Performance coordenada pela coreógrafa Thelma Bonavita, que navega entre as fronteiras do corpo e da moda em constante fricção, a partir do toque, especulando também noções de tempo.

moda
ENEGRECÍDIO + Próloga
dia 18/5, sábado, às 20h – 240min – livre – Piso Flávio de Carvalho
Performance que subverte a subjetividade do consciente coletivo sobre corpos e vestimentas, pesquisa sobre a profundidade da imagem para além do que somos capazes de ver.

Sarau Têxtil
dia 19/5, domingo, às 16h – livre – Piso Flávio de Carvalho
Um microfone aberto para a livre costura entre o público e suas vestes, em múltiplas linguagens. Cada participante pendurará a sua roupa na arara coletiva. Quando selecionada por alguém que iniciará a atividade, terá alguns minutos para compartilhar suas memórias afetivas, escolhendo uma nova peça.

dança
Sambada de Reis
dias 18 e 19/5, sábado, às 21h, e domingo, às 11h – 60min – livre – Área de Convivência
Ao som de instrumentos típicos, folgazões comemoram o grande baile oferecido pelo Capitão Marinho com brincadores que se unem à festa compondo variados desenhos coreográficos e jogos ritmados, bonecos gigantes e figuras mascaradas como o “soldado da gurita”, “mateus”, o “mané pequenino”, a “margarida” e o “boi”.

teatro
Virada Cena Trans
dia 18/5, sábado, às 21h – 50min – 14 anos – Espaço Cênico Ademar Guerra
Artistas trans de destaque nas diversas artes do corpo apresentam um espetáculo que transita entre música, performance, teatro e audiovisual.
Direção e roteiro: Ave Terrena – elenco: Aretha Sadick, Leona Jhovs, N.A.C., PamkaPauli e Uma Pessoa – luz: Fly Hirano Martins – vídeo: Nu abe – vídeo mapping e operação: Luciana Ramin – técnica de som: Gabi Lima – direção de arte: Rogerio Romualdo Pinto – produtora: Bia Fonseca

ação cultural
Laboratório Fotográfico aberto
dia 18/5, sábado, às 18h – livre – Laboratório Fotográfico – LabFoto (Piso 23 de Maio – Porão)
Visitação e demonstração de revelação de papel fotográfico e abertura da exposição coletiva com fotos dos participantes das oficinas realizadas ao longo desses últimos cinco meses pelo Coletivo PinRolê.

Produção Coletiva de Mural Lambe-Lambe
dia 18/5, sábado, às 23h – 180min – livre – Folhetaria
Intervenção artística com o coletivo OCUPEACIDADE, que propõe a utilização de duas técnicas de produção de lambe-lambe: a serigrafia e o estêncil.

Erick Jay e DJ Typá
dia 18/5, sábado, às 23h – 120min – livre – Jardim Eurico Prado Lopes (rampa de acesso ao metrô)
Erick Jay e a DJ Typá transformam a rampa de acesso do metrô Vergueiro em pista de dança na noite de sábado para seu repertório de hip hop, seguido de uma conversa sobre música e a cultura das pick-ups.

Xilotekoa – Histórias Encantadas da Aldeia
dia 19/5, domingo, às 10h – 180min – livre – Jardim Suspenso (lado 23 de Maio)
Com o Coletivo Tenonderã Ayvu, a atividade realizada no Jardim Suspenso do CCSP propõe uma experiência de desenho e xilogravura com temáticas baseadas em histórias contadas pelos xeramoi (lideranças espirituais Guarani Mbya)

Workshop Estêncil & Estampa
dia 19/5, domingo, às 14h – 240min – livre – Jardim Suspenso (lado 23 de Maio) e Folhetaria
A artista Mônica Nador (do Jardim Miriam Arte Clube, o JAMAC) convida o público para a atividade Estêncil & Estampa, oficina de desenho e pintura em estêncil nos espaços da Horta Colaborativa e da Folhetaria.

música
Quartabê + Luiza Lian + Alessandra Leão + Ava Rocha
dia 19/5, domingo, às 0h – 90min – livre – Sala Adoniran Barbosa
Algumas das principais autoras da música brasileira contemporânea se apresentam na madrugada do sábado para o domingo da Virada Cultural do CCSP: o grupo Quartabê (com seu disco Lição #2: Dorival); Luiza Lian; Alessandra Leão e Ava Rocha (com seu álbum Trança). O show termina com uma inédita apresentação coletiva das artistas.

cinema
Deuses e Monstros do Japão
Virada Phenomena 2019
dia 19/5, domingo – a partir da 0h – livre – Espaço Cênico Ademar Guerra
Maratona que começa madrugada adentro, com mais de 20 horas do mais estranho e formidável cinema japonês, no extraordinário espaço Ademar Guerra, no porão do CCSP, ambientado especialmente para a Virada.